sexta-feira, 30 de março de 2012

Fotocópias


Aqui ao pé da minha casa há uma papelaria, na qual sou cliente habitual, o casal de donos são meio para o estranho fisicamente e no trato com os clientes, não que sejam antipáticos para mim, mas já vi conversas que têm com outros clientes e eu nem queria ouvir no que estava a ouvir, o homem não sei se quer ser simpático ou se tem uns laivos de taradice, espero ficar sempre na dúvida.
Nessa mesma papelaria têm uma empregada, rapariga na casa dos 30 anos, mas escolhida a dedo e de acordo com o perfil dos donos,estranha, sempre que alguém lá vai, a rapariga faz um compasso de espera de uns segundos que parecem uma eternidade, antes de perguntar o que queremos, e depois novo compasso de espera na entrega do troco, em que fica mais uns segundos a olhar para nós e não desenvolve, hoje fui lá tirar umas fotocópias, quem me atendeu foi a rapariga, e passado o compasso de espera habitual, pedi que me tirasse as fotocópias, enquanto a cópia tirava, ela à minha frente lia as que tinha na mão e eu estupefacta a olhar directamente para ela, e ela não se intimidou e cada vez que mudava a folha, lá ia ler o que estava escrito, se eu não estivesse lá ainda percebia que ela lesse, acho que faz parte da curiosidade, agora eu ali mesmo ao lado dela, incrível. Depois pergunta-me se eu sabia em que andar vivia uma vizinha minha, e eu lá lhe disse 2º C, a rapariga olha para mim e diz: de certeza? não sei se é! e eu só pensava , isto não me está a acontecer, lá acabou de tirar e ler as cópias, ainda pensei em dizer se não queria que lhe fizesse um resumo escusava de estar a ler tanta letra, mas calei-me, novo compasso de espera habitual, recebi o troco e vim-me embora.

10 comentários:

  1. Ahahah... realmente há com cada uma...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu fiquei completamente estupefacta com a situação.

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Para a próxima vou experimentar, é pena não ser anã senão fazia um lançamento :)

      Eliminar
  3. Das duas uma: ou era débil ou era parva. Também podia ser uma débilo-parva. Eu tinha falado. Só para ter um melhor "diagnóstico": se o deixasse de fazer era apenas débil e sem noção das consequências dos seus actos. Se persistisse era parvalhona em último grau.

    ResponderEliminar
  4. Há com cada uma! Estava a ler as folhas que levaste para fotocopiar? Parece demonstrar ser um bocado lerda, não? Não só por esses compassos de espera como pela atitude... ;)

    ResponderEliminar